Viajar
Já é hora de planejar viagem? Afinal, quando será seguro para viajar?
11/09/2020
Fatores de prevenção do suicídio
25/09/2020
Exibir tudo

Setembro Amarelo: A importância do diálogo

Setembro Amarelo - A importância do diálogo

Precisamos construir um diálogo franco e corajoso se quisermos “virar esse jogo”

Olá, pessoal!

Neste treino mental, irei tratar do assunto sobre a complexidade das causas do suicídio dentro da proposta lançada no mês de Setembro que é de contribuir para a campanha que leva o nome de Setembro Amarelo.

As informações deste post são a partir dos estudos da Organização Mundial de Saúde (OMS).

A OMS nos revela que “o comportamento suicida é um fenômeno complexo causado por vários fatores interligados: pessoais, sociais, culturais, biológicos e ambientais.”

Nesse sentido, é preciso cautela para evitar simplificações ou conclusões precipitadas sobre o assunto.

Contudo, a OMS considera o suicídio um fenômeno de saúde pública pelo expressivo número de casos que ocorrem no mundo, sendo considerado também as tentativas e a quantidade de ideação suicida envolvidos em questão. Diante dessa triste constatação, abre -se um senso de urgência enorme para o enfrentamento desse problema. O lançamento de uma campanha como essa do Setembro amarelo que gera informação e esclarecimento, abrir caminhos para policiais públicas mais eficientes e assertivas que promovam o atendimento de forma  digna e que possam combater o preconceito social contra esse segmento numeroso da população, oportunizando assim um debate público e democrático sobre o tema e outras ações relacionadas à valorização da vida faz-se necessário e imprescindível.

Dito isso, cabe modificar uma ideia fundamental a respeito da figura do suicida e que permeia o inconsciente coletivo, ou seja, uma pessoa que comete esse ato equivocado o faz porque quer, seja por coragem ou covardia (de acordo com o pré-julgamento simplista que cada pessoa venha fazer).

Definitivamente não podemos pensar dessa maneira.

Estudos estão sendo realizados e nos comunicam uma realidade bem diferente do senso comum: a pessoa não quer se matar e sim acabar com o seu sofrimento psíquico ao qual está submetida.

Essa reflexão faz toda diferença!

De acordo com esse paradigma, avançaremos no conteúdo trazendo a informação de que em 90% dos casos, os atos suicidas estão associados a patologias de ordem mental que são diagnosticáveis e tratáveis.

“O suicídio é uma situação de crise na vida que é absolutamente evitável.  É uma eventualidade que ocorre geralmente na vigência de uma doença mental, e é importante que cada cidadão se sinta responsável pelo vizinho ou parente que perceba estar em crise.”, fala do psiquiatra José Manuel Bertolote entrevista dada ao blog Suicídio:  Conhecer para Prevenir – http://conhecerparaprevenir.blogspot.com/search?q=O+suic%C3%ADdio+%C3%A9+uma+situa%C3%A7%C3%A3o+de+crise+na+vida+que+%C3%A9+absolutamente+evit%C3%A1vel .

Os estudos científicos nessa área afirmam que na maioria dos casos os suicídios são preveníeis. É a ciência derrubando a falsa premissa – amplamente disseminada- de que não há o que fazer quando alguém deseja se matar.

A OMS afirma que o estigma social precisa ser desconstruído e o preconceito seja debatido publicamente.

O tema do suicídio precisa deixar de ser tabu para entrar, de vez, nas rodas de conversa. Precisamos construir um diálogo franco e corajoso se quisermos “virar esse jogo”. Só conseguiremos que esse fato se torne realidade se unirmos as forças, pois unidos nos fortaleceremos, ficando mais hábeis e capazes de enfrentar o problema de frente.

Creio nisso!

 

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias.

Atendimentos pelo número: 188
Site: https://www.cvv.org.br/

 

Vamos lá fazer o que será…

Sou Andréa Vicente, psicóloga e estou disponível para trocas e partilhas.

Até breve!

Abraço carinhoso.

WhatsApp ícone Instagram ícone Facebook ícone

 

 

 

Outras matérias da Psicóloga Andréa Vicente

Setembro Amarelo

Leis sistêmicas

Leis universais

O poder da Gratidão

Andréa Vicente
Andréa Vicente
Formada em Psicologia pela UERJ, especialização em Psicologia Médica, Psicanálise com Crianças, Terapia de Casal e Família e Perito Examinador de Trânsito. Atualmente, sou aluna do curso de formação em Constelação Familiar com bonecos. CRP: 05/17715.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *