Onde correr na Zona Sul do Rio de Janeiro: Parque Penhasco Dois Irmãos
05/02/2021
Pontal e Grumari
Onde correr na Zona Oeste do Rio de Janeiro: Pontal a Grumari
09/04/2021
Exibir tudo

Onde correr na Zona Sul do Rio de Janeiro: Parque do Flamengo

Parque do Flamengo

Olááá! Tudo bem? Em mais um post sobre onde correr na Zona Sul do Rio de Janeiro, trago o Parque do Flamengo, um local super conhecido pelos corredores da cidade. Afinal, uma boa parte das corridas acontece ali. Aí você vai pensar…

Ah, mas eu já conheço o Parque do Flamengo. Que novidade vai ter?

Continue comigo porque tenho certeza de que você vai se surpreender…

Inclusive, escolhi o Parque do Flamengo para o post de hoje porque dia 1/3 foi aniversário do Rio de Janeiro e ele tem muita relação com a história da cidade.

O Parque do Flamengo começa no Aeroporto Santos Dumont e termina no final dos jardins situados ao longo da Praia de Botafogo.

Parque do Flamengo

É o maior parque do Rio de Janeiro com 1.200.000 m2 e também o maior parque urbano do mundo à beira mar e Patrimônio Mundial da Humanidade na categoria “Paisagem Cultural Urbana”.

Foi idealizado por Lotta Macedo Soares para ser o Central Park Tropical e foi o primeiro parque de lazer ativo do Brasil.

Você sabia que o Parque do Flamengo ainda não foi terminado? Por ainda continuar inacabado, já que vários equipamentos previstos no projeto original tombado ainda não saíram do papel, nunca teve uma cerimônia oficial de inauguração.

A data que muitos consideram como sendo de sua fundação, mas, como disse, não é oficial, é a de 17 de outubro de 1965. Ela foi escolhida por ter sido o dia de uma grande festa pelo dia das crianças.

O Parque do Flamengo é dividido em dois parques:

  • Parque Brigadeiro Eduardo Gomes: do aeroporto até o Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial (Monumento aos Pracinhas).
  • Parque Carlos Lacerda: do Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial ao final da Praia de Botafogo.

Parque Brigadeiro Eduardo Gomes

O parque é reconhecido por duas de suas monumentais construções: o Museu de Arte Moderna e o Monumento aos Pracinhas.

Parque do Flamengo

Eduardo Gomes foi um herói nacional, amigo de José Eduardo Macedo Soares, pai de Lotta Macedo Soares, idealizadora do parque.

Participou da Revolta Tenentista de 1922 (sendo um dos dois sobreviventes), foi Ministério da Aeronáutica e candidato à presidência da República, perdendo as duas vezes (uma para Eurico Gaspar Dutra e outra para Getúlio Vargas).

E sabe o brigadeiro? O docinho de chocolate? Foi criado durante a campanha presidencial de Eduardo Gomes.

As mulheres de seu comitê de campanha criaram o slogan “Vote no Brigadeiro, além de bonito é solteiro” e, para angariar fundos para a campanha, faziam e vendiam um docinho feito de leite, ovos, manteiga, açúcar e chocolate. Conhecido como o “docinho do brigadeiro”, com o tempo, acabou ficando o nome “brigadeiro”.

Parque Carlos Lacerda

O Parque Carlos Lacerda ocupa a maior área do Complexo do Parque do Flamengo. Isso inclui a Marina da Glória, as Pistas de Aeromodelismo, o Teatro de Arena, o Coreto Estrela, as Quadras de Pelada, o Recreio Infantil Lotta Macedo Soares, o Teatro de Marionetes, a churrascaria Assador Rio’s, o Monumento a Estácio de Sá, a Praça Cuauhtémoc, a Praia e a totalidade das áreas para a prática de esportes variados.

Seu nome é uma homenagem ao seu construtor, Carlos Lacerda.

Não vou entrar em detalhes sobre cada um desses aparatos, mas gostaria de falar apenas de um deles: o Monumento a Estácio de Sá.

Por quê? No início do texto eu disse que achava importante falar sobre o Parque do Flamengo na véspera do aniversário da cidade do Rio de Janeiro. E o monumento possui uma grande relação com a fundação da cidade.

O Monumento a Estácio de Sá foi construído no local da antiga foz do rio Carioca para homenagear o fundador da cidade, Estácio de Sá.

Composto por uma pirâmide de 17 metros de altura e por uma sala no piso inferior onde estão réplicas da lápide de Estácio de Sá e do marco de fundação, estão depositadas sobre uma caixa de areia que representa a praia onde ele desembarcou e fundou a cidade.

Normalmente, o monumento está fechado. Mas, a gente consegue ver as réplicas através de uma estrutura de vidro que fica ao lado da pirâmide.

E por que réplicas? A intenção do governo era que o monumento abrigasse os restos mortais de Estácio de Sá, sepultados na Basílica de São Sebastião Frades Capuchinhos, na Tijuca. No entanto, os frades não aceitaram.

Uma curiosidade daqui é que um dos vértices da pirâmide apontam para o Morro Cara de Cão, o local de fundação da cidade.

Correndo no Parque do Flamengo

Apesar de ele ter seu começo no aeroporto Santos Dumont, a maioria dos corredores começa a treinar a partir do Museu de Arte Moderna (MAM).

Você pode iniciar o seu treino no MAM e seguir até o monumento Estácio de Sá, o que garante um pouco mais de 3 km de corrida. A marcação no chão aparece a cada 500 metros.

Se estiver com pique, pode esticar até o final da Enseada de Botafogo, garantindo um treino de 5 km.

A vista super compensa: a gente vê o Pão de Açúcar durante grande parte do percurso.

E aí? Já correu no Parque do Flamengo? Conhecia algumas das histórias contadas aqui? Conte aqui nos comentários e vamos continuar essa conversa!

O Parque do Flamengo faz parte do roteiro Correndo para o Pão de Açúcar da Rio Running Tour. Nesse roteiro, a gente fala sobre essas e outras histórias do local. Para saber mais sobre o roteiro e as datas futuras, visite a @riorunningtour.

Hoje fico por aqui!

Até a próxima!

Um super beijo,

Carolina Belo

Blog: https://www.viajarcorrendo.com.br

Instagram ícone Facebook ícone YouTube ícone Twitter ícone Pinterest ícone

 

 

Viajar Correndo

 

Últimas matérias do Viajar Correndo:

Onde correr na Zona Sul do Rio de Janeiro: Parque Penhasco Dois Irmãos

Onde Correr no Centro do Rio de Janeiro: Campo de Santana

Onde Correr na Zona Norte do Rio de Janeiro: Engenhão

Onde correr na Zona Oeste do Rio: Barra da Tijuca

Carolina Belo
Carolina Belo
Olááá! Eu sou Carolina Belo, um ser “múltiplo”. Isso porque sou Bióloga, Turismóloga e Guia de Turismo. E nessa mistura toda ainda sou viajante e corredora. Gosto muito de escrever, principalmente quando o tema envolve minhas paixões: viagem, corrida e fotografia. Sou uma pessoa feliz...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *